quarta-feira, 10 de junho de 2015

Olhos que me olham


Seus olhos me olham incertos
Às vezes, dá medo em olhar
Pois dói o que é bonito admirar
Em ver perder, vulneráveis e descobertos.

E quando se está a ponto de perder
Aquilo que irradia e alicerça a alma
Tudo se inquieta, tudo se acalma
E uma impaciência de empolga a entristecer.

Oh! Coração intranquilo, que queres ?
Quando me tomas em teus braços
E os meus pés se quedam descalços
É tudo isso que para mim tu eres?

Oh! Mas que incertezas desgraçadas.
Ao toque da hora de dormir tudo muda
As louças do café, o gato, e menina surda
Num piscar de olhos cegos muda até a calçada.

E se esses olhos incertos de me olhar
Continuarem a vagar sem dizer nada
Como se o mundo fosse um conto de fadas
Não resta mais nada, só deixar de te olhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário