quarta-feira, 20 de maio de 2015

Uma eterna ação de escolhas



O sol que brilha preguiçoso
Emana um véu, resplandecente
Mas, em porções nulas de aparecer
Sob debaixo de um teto raivoso
Não chora com lágrimas, grita sangue!
Por não conseguir ser quem é
Diante de um coração gélido, e 
Um sofrimento aceitável, harmonioso!

A verdade não se esconde atrás da parede
Os sentimentos surgem, não são inventados.
As lagrimas de dor adormecem, mas não somem!
Puras, e de resquícios de amor ignorado.
Mas, o novo dia, sempre está disposto a vir
O Sol dá seu espetáculo todos os dias
As estrelas brilham, não importa o que aconteça.
Não importa se o céu está nublado.

Algumas tardes podem parecer nuas
Sem sintonia com a matéria ou a carne.
Porém, há um sorriso louco que aparece.
Porque a vida é feita de efêmeros instantes e tudo passa.
O hoje existe e somente é isso que há
Por causas não ganhas do passado
Mesmo que a angústia queira morar no lugar errado
Não teria raízes para crescer, com encanto
Se o que se planta se colhe mais tarde.
Não há dor que dure, e que arda por muito tempo
Pois a correnteza de água não para.
É assim a vida, uma eterna ação de escolhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário