quinta-feira, 21 de maio de 2015

Pretérito "imperfeito" saudadizando


É quando o céu está azul de emoção, 
E as nuvens estão pratas e lilases.
Quando o brilho das estrelas mostram risos, mesmo em uma imensa distância.
É quando o sorriso de uma criança dança e irradia raios luminosos.
Como a doçura do canto dos pássaros,
Que seduzem ouvidos sensíveis.
É quando os ouvidos sabem sentir.
É como conversar com as plantas e trocar energia, mesmo que invisivelmente.
Como beijar o vento e se extasiar de emoção.
Sentir a imensidão interior sem conhecer o que faz o coração ter razão,
Sem ter entendimento real do que está acontecendo.
"É como o vento, a gente não vê, mas a gente sente"
É como um soneto de Camões, ardente e enaltecendo o amor.
Como uma sinfonia rica e enfeitada de sentidos de Beethoven.
Como uma pintura feminina do italiano Modigliani.
Como a voz de Bono, que seduz com
 “With or without you”
E Urs Buhler quando canta “Alone”divinamente bem.
Como a dança sublimada que faz descalçar os pés.
Como o barulho do silêncio, que emana o som interior.
Mesmo que tudo isso seja somente uma lembrança, das andanças da vida.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário