sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Esses romances


 

Sabe esses romances
Que de longe são risos
Que se unificam
E depois
Se abominam?

São apegos constantes
E de constantes vazios
Num efêmero fixado
Na travessa
De um rio.

Esses romances
Que se desdobram
Na aventura
Que aproveitam o momento
Com eterna bravura

Se esquecem do eterno
Das passagens reais
Se enfiam num monte
De quimeras
Banais

Eles tem sede de momento
De fogo e de carne
São perfeitos inventários
de inesquecíveis
e intensas tardes

No outro dia já esquecem
com facilidade
a promessa do depois
só fica registrado
aquele momento a dois.

Ah, esses romances



# Música 

Nenhum comentário:

Postar um comentário