segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

A intensidade do CRER



Não creias em mim tão tarde
Sou, talvez, as fases da lua
Às vezes, estou no muro da rua
Por vezes, no chão, sem alarde

Não creias em mim antes do nascer do dia
Sou como as quatro estações
Ora quente, ora fria, em emoções
Sem conquistar um fim, sem energia

Não creias em mim novamente amanhã
Sou como os quatros elementos que me abriga
Fogosa, terráquea, transparente e com fadiga
Ora normal, ora anormal, ora não sã.

Mas, toda as vezes, creias em mim
Quando cristã eu falar das felicidades
Estarei no auge das minhas verdades
E quando o amor falar por mim.


Nenhum comentário:

Postar um comentário