domingo, 14 de dezembro de 2014

Atração ou repulsão do saber


Às vezes nem é preciso dizer muito
Tampouco ouvir muito

Gastar palavras é gasto de tempo
De energia
De tempo
De energia
E de tempo...
Não vês que saber
Sem ao menos saber
Só funciona com a percepção
Dos sentidos da alma?
Não vês que teu corpo
Só existe por que
A energia animada é fluído vital?
Esse que vem do universo.
Pois tudo o que não energia é espírito
e o que não é espírito é energia.
E não basta somente um corpo orgânico, saudável,
para tu se movimentes, para lá e para cá?
Movendo as mãos, os pés, os olhos...
Não sabes que é eletricidade que te move?
Não percebes que teus campos de força
Esses que vão da cabeça às partes íntimas
Conduzem-te em todas as tuas áreas?
Não percebes quando não está bem
Um deles fica debilitado?
E que és um espírito encarnado em evolução?
Por que achas que os dejavus vem à tua procura?
Porque tu amas algumas pessoas
E as outras tu odeias?
Isso é tua sensibilidade que detecta
Atração ou repulsão, simples assim.
São o aglomerado de informações
Que tu guardou nas gavetas dos passados
E cada vida que viveste está em uma gaveta
Àquelas que necessitas reviver, volta
E quando volta tu te perdes em si
Gerando um tempo para que te encontres
e tu nunca sabes de verdade como sabes.
Porque o conhecimento virá
E tu não saberás explicar com o sabes tanto
E os pensamentos que brotam em tua mente?
Sabe de onde vem?
Tem ideia do quão influenciado tu és?
Tudo o que vês nos livros
Dos grandes pensadores
Foram palavras de espíritos inteligentes
Que escreveram sem alguém dizer
E como isso?
Pois tudo o que aprendemos em outra vida
fica lá disponível, basta reavivar a gaveta necessária.
Como desenvolver algo se não se sabe?
Há um aprimoramento nos ensinamentos antes de reencarnar
só sabemos que temos que fazer tal coisa
mas não sabemos como sabemos.
Isso é sabido quando o objeto se apresenta
Anos de estudos não bastam!
Senão os médicos conseguiriam curar
Todos os pacientes que sofrem dia após dia
Ele somente é um instrumento ali
Mas, sabemos mais do que pensamos saber
Que aí vem a atração ou a repulsão

Nenhum comentário:

Postar um comentário