quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Ainda lembro



Eu me lembro dos seus olhos
Olhando-me docemente
Como se quisesse refugiar-se
Dentro dos meus.
Testando os meus sentidos
Querendo saber quem eu sou.
Sou simplesmente um alguém
Com humildade e simplicidade
E que adora a natureza.
À medida que os seus olhos
Adentravam os meus
Menos minha alma se escondia
Dos seus.
É fácil me ler quando se têm um olhar simples.
Não procure em mim complexidade.
O pensamento ajuda a encaixar as peças.
Na busca equável de pensamentos de amor.
E eu lembro que não deixei de falar de amor
Saíam faíscas adormecidas dos meus olhos
E viravam luzes das mais belas cores.
Transbordando assim esse sentimento.
Que mal cabia direito no peito
Nas palavras que saiam da minha boca.
Contudo, acredito que a mensagem foi passada.
E quanto você gostou, eu não sei
Mas senti um gosto de quero mais
Da minha essência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário