domingo, 31 de agosto de 2014

Nosso infinito particular



Em nosso infinito particular
E eu ouço o som da sua voz
Aqui mesmo no meu espaço metafórico
Tento me concentrar, mas não consigo.
No que tenho de fazer
Mas, sem sucesso.
A vida vai me cobrar lá na frente
O que não consigo fazer agora.
E tudo porque estais concentrado
Em minha mente e em meu coração.
As suas ideias me invadem
Seus sentimentos me invadem mais ainda.
Já nem sei mais quem sou
Quando você está em mim.
Suas palavras tecem meu silêncio
Me afundo nesse absurdo e indagador silêncio.
Em seu sorriso maravilhoso
Em seus olhos negros
Em suas covinhas, ah essas covinhas!
Me matam por dentro.
A sua docilidade me inunda
Meu amor, ah meu amor
Não demore mais, não me aguento mais
Quero sair desse inferno astral
Quero te ver aqui.
Eu estou necessitando de sua presença
Venha logo pra mim
Vem meu doce.
Vem meu amor.

O infinito é nosso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário